Ainda nos primeiros dias de vida do seu bebê, você notou que a pele ou olhinhos amarelados? O nome é icterícia e não pode ser considerado uma doença e sim uma adaptação do metabolismo do recém-nascido. Por isso não se desespere! Ela ocorre por causa do excesso de bilirrubina, uma substância de cor amarela que é resultante do metabolismo da hemoglobina (substância que dá a cor vermelha aos glóbulos vermelhos do sangue).

No recém-nascido, os níveis de bilirrubina normalmente estão mais elevados devido à maior quantidade de glóbulos vermelhos e porque o fígado do bebê ainda não é capaz de metabolizar o excesso de bilirrubina.

Apesar de não ser uma doença e logo não há uma forma correta de prevenção, vamos ajudar como fazer para evitar e tratá-la:

- Através de exames de sangue durante a gravidez. Certas incompatibilidades sanguíneas podem induzir a degradação da hemoglobina, produzindo mais bilirrubina.

-Diminuindo a chance de um parto prematuro. Os bebês que nascem antes de 38ª semana são mais suscetíveis a desenvolver icterícia. O fígado de um prematuro é menos desenvolvido, tendo mais dificuldade de eliminar a bilirrubina.

-Começando a dar de mamar imediatamente. A amamentação logo após o nascimento pode reduzir o risco de icterícia e até começar a tratá-la, caso o problema já esteja presente.

-Alimente seu bebê com frequência. O leite aumenta o ganho de peso e auxilia o desenvolvimento da criança, inclusive o do fígado. Isso vale para bebês amamentados no peito ou com fórmula. O ideal é que o recém-nascido mame entre 8 a 12 vezes por dia nos primeiros dias de vida, principalmente se ele tiver risco de desenvolver icterícia.

-Trate-o com fototerapia no hospital. A luz ultravioleta altera as moléculas da bilirrubina, eliminando a necessidade de que ela seja fragmentada no fígado para ser excretada.

Se for recomendado pelo médico, exponha o bebê sem roupinhas ou apenas com fralda à luz solar por pouco mais de cinco minutos, uma ou duas vezes ao dia. Não ultrapasse esse tempo, pois a exposição prolongada pode causar queimaduras na pele e complicações adicionais. Tome cuidado para que ele não se resfrie nesse momento: aumente a temperatura do ambiente ou coloque-o no seu peito durante o banho de sol.

Outra alternativa é posicionar o berço do bebê em um local ensolarado com cortinas na janela. O vidro da janela e as cortinas filtram a maior parte dos raios UV que podem causar problemas de pele, permitindo que ele tome sol sem se queimar.