Cada criança possui sua singularidade única e especial e todas passam por processos de desenvolvimento desde o momento em que nascem até os dois anos de vida. Cada um desses processos é de extrema importância na vida da criança e vão influenciar no decorrer do seu crescimento.

Todo pequeno passa por esse andamento de forma particular, e cabe aos pais notarem essa evolução.

Vamos falar um pouco sobre as etapas desse desenvolvimento de 0 a 2 anos de idade.

Desenvolvimento físico do 0 aos 6 meses de idade

• Processo de fortalecimento gradual dos músculos e do sistema nervoso: os movimentos bruscos e descontrolados iniciais vão dando lugar a um controle progressivo da cabeça, dos membros e do tronco;

• Por volta dos 4 meses, o controle das mãos é mais fino, sendo capaz de segurar num brinquedo;

• Desenvolvimento da função auditiva;

• Já dos 4-6 meses, possui já uma grande sensibilidade às modulações nos tons de voz que ouve; Intelectual

• A partir dos 4 meses, começa a imitar alguns sons que ouve à sua volta;

• No 6º mês, compreende algumas palavras familiares (o nome dele, "mamã", "papá"...), virando a cabeça quando o chamam;

Social

• Distingue a figura cuidadora das restantes pessoas com quem se relaciona, estabelecendo com ela uma relação privilegiada;

• Fixa os rostos e sorri (aparecimento do 1º sorriso social por volta das 6 semanas);

• Por volta dos 4 meses: capacidade de reconhecimento das pessoas mais próximas, o que influência a forma como se relaciona com elas, tendo reações diferenciadas consoante a pessoa com quem interage. É também capaz de distinguir pessoas conhecidas de estranhos, revelando preferência por rostos familiares;

Emocional

• Manifesta a sua excitação através dos movimentos do corpo, mostrando prazer ao antecipar a alimentação ou o colo;

• O choro é a sua principal forma de comunicação, podendo significar estados distintos (sono, fome, desconforto...);

• Apresenta medo perante barulhos altos ou inesperados, objetos, situações ou pessoas estranhas, movimentos súbitos e sensação de dor;

Desenvolvimento físico dos 6 aos 12 meses de idade

• Desenvolvimento da motricidade: os músculos, o equilíbrio e o controlo motor estão mais desenvolvidos, sendo capaz de se sentar direito sem apoio e de fazer as primeiras tentativas de se pôr de pé, agarrando-se a superfícies de apoio;

• A partir dos 9 meses, poderá começar a dar os primeiros passos, apoiando-se nos móveis;

• Desenvolvimento da preensão: entre os 6 e os 8 meses, é capaz de segurar os objetos de forma mais firme e estável e de manipulá-los na mão; por volta dos 10 meses, é capaz de meter pequenos pedaços de comida na boca sem ajuda, bater dois objetos um no outro utilizando as duas mãos, bem como adquire o controle do dedo indicador (aprende a apontar);

Intelectual

• A aprendizagem faz-se sobre tudo através dos sentidos, principalmente através da boca;

• Os gestos acompanham as suas primeiras "conversas", exprimindo com o corpo aquilo que quer ou sente (por ex., abre e fecha as mãos quando quer uma coisa);

• A partir dos 10 meses, a noção de causa-efeito encontra-se já bem desenvolvida: o bebê sabe exatamente o que vai acontecer quando bate num determinado objeto (produz som) ou quando deixa cair um brinquedo (o pai ou a mãe apanha-o). Começa também a relacionar os objetos com o seu fim (por ex., coloca o telefone junto ao ouvido);

• Progressiva melhoria da capacidade de atenção e concentração: consegue manter-se concentrado durante períodos de tempo cada vez mais longos;

• A primeira palavra poderá surgir por volta dos 10 meses;

Social

• O bebê está mais sociável, procurando ativamente a interação com quem o rodeia (através das vocalizações, dos gestos e das expressões faciais);

• Manifesta comportamentos de imitação, relativamente a pequenas ações que vê os adultos fazer (por ex., lavar a cara, escovar o cabelo, etc.);

• A partir dos 10 meses, maior interesse pela interação com outros bebês;

Emocional

• Formação de um forte laço afetivo com a figura materna (cuidadora) - Vinculação;

• Presença de ansiedade de separação, que se manifesta quando é separado da mãe, mesmo que por breves instantes - trata-se de uma ansiedade normal no desenvolvimento emocional do bebê;

• A partir dos 8 meses, maior consciência de si próprio;

• Nesta fase é comum os bebês mostrarem preferência por um determinado objeto (um cobertor ou uma pelúcia, por ex.), o qual terá um papel muito importante na vida do bebê - ajuda a adormecer, é objeto de reconforto quando está triste, etc.;

Desenvolvimento físico de 01 aos 02 anos de idade

• Começa a andar, sobe e desce escadas, sobe os móveis, etc. - o equilíbrio é inicialmente bastante instável, uma vez que os músculos das pernas não estão ainda bem fortalecidos. Contudo, a partir dos 16 meses, o bebê já é capaz de caminhar e de se manter de pé em segurança, com movimentos muito mais controlados;

• Melhoria da motricidade fina devido à prática - capacidade de segurar um objeto, o manipula, passa de uma mão para a outra e o larga deliberadamente. Por volta dos 20 meses, será capaz de transportar objetos na mão enquanto caminha;

Intelectual

• Maior desenvolvimento da memória, através da repetição das atividades - permite-lhe antecipar os acontecimentos e retomar uma atividade momentaneamente interrompida, à qual dedica um maior tempo de concentração. Da mesma forma, através da sua rotina diária, o bebê desenvolve um entendimento das sequências de acontecimentos que constituem os seus dias e dos seus pais;

• Exibe maior curiosidade: gosta de explorar o que o rodeia;

• As experiências físicas que vai fazendo ajudam a desenvolver as capacidades cognitivas. Por exemplo, por volta dos 20 meses;

• Entre os 20 e os 24 meses é também capaz de brincar ao faz-de-conta (por ex., finge que deita chá de um bule para uma xícara, põe açúcar e bebe - recorda uma seqüência de acontecimentos e faz de conta que os realiza como parte de um jogo). A capacidade de fazer este tipo de jogos indica que está a começar a compreender a diferença entre o que é real e o que não é;

Social

• Aprecia a interação com adultos que lhe sejam familiares, imitando e copiando os comportamentos que observa;

• Aprecia a interação com adultos que lhe sejam familiares, imitando e copiando os comportamentos que observa;

• Maior autonomia: sente satisfação por estar independente dos pais quando inserida num grupo de crianças, necessitando apenas de confirmar ocasionalmente a sua presença e disponibilidade - esta necessidade aumenta em situações novas, surgindo uma maior dependência quando é necessária uma nova adaptação;

• A partir dos 20-24 meses, e à medida que começa a ter maior consciência de si própria, física e psicologicamente, começa a alargar os seus sentimentos sobre si próprio e sobre os outros - desenvolvimento da empatia (começa a ser capaz de pensar sobre o que os outros sentem);

Emocional

•Grande reatividade ao ambiente emocional em que vive: mesmo que não o compreenda, apercebe-se dos estados emocionais de quem está próximo dele, sobre tudo os pais;

• Desenvolve o sentimento de posse relativamente às suas coisas, sendo difícil partilhá-las;

• Embora esteja normalmente bem disposta, exibe por vezes alterações de humor ("birras");

• É bastante sensível à aprovação/desaprovação dos adultos