Você já parou para pensar que as crianças também podem sofrer de baixa autoestima? Ocorrendo na maioria das vezes no ambiente escolar e em alguns casos dentro do próprio lar. Especificamente os pequenos de pele negra, ou que não tem o cabelo liso, estão sujeitos a apelidos sobre sua aparência ou comentário do seu cabelo cacheado/crespo. Não se ver em bonecas, comerciais de televisão, propagandas na internet, em revistas e outros meios de comunicação que estamos rodeados influência sem que percebamos.

É preciso considerar ainda que boa parte dos produtos destinados ao público infantil têm pouca representatividade negra e menos ainda representatividade negra e crespa. E isso não é banal. Essas imagens não deixam de ser em algum sentido, modelos de beleza e de comportamento. Nas escolas ver os amiguinhos com o cabelo liso, ouvir definições como “cabelo bom” e “cabelo ruim”, “tem que alisar”, chegam com força até as crianças que ainda se encontram em processo de formação da personalidade. Nossos pequenos são afetados por essas “pequenas coisas”, nos tornamos responsáveis e devemos tentar amenizar as consequências que podem influenciar diretamente na personalidade deles.

Vamos á algumas dicas de como lidar nessas situações

-Primeiramente, converse com sua filha, diga que cada cabelo é único, lindo e especial como ela mesma. Ela vai acreditar em você, pois os pais são a maior referência e inspiração que os filhos possuem na infância.

-Identificar o tipo de cabelo da sua filha (se é cacheado e o tipo de cacho, ou crespo)

-Um corte pode ajudar muito, procure com um profissional especialista no assunto

-Passe a usar produtos específicos para crianças e para cabelo cacheado

O objetivo aqui não é estimular o ódio aos lisos, apenas incentivar um sentimento de orgulho em crianças com fios ondulados, cacheados ou crespos. É fazer com que cada criança sinta orgulho de ser como é.